Uma decisão pensada e feliz: porque estou deixando as fraldas descartáveis

Saúde e Cuidados outubro 25, 2015

| Tão básicas no enxoval da maioria das mamães, as fraldas descartáveis trazem prejuízos que vão  além do que podemos imaginar.

Arthur de fralda descartável

Eu realmente gostaria de ter pensado a respeito das fraldas que utilizaria no meu filho quando ainda estava grávida porque talvez, a decisão pelo caminho que estou tomando agora teria acontecido bem lá atrás.

Com dez meses de idade Arthur está deixando de usar fraldas descartáveis e começará, muito em breve, a fazer uso das de pano.

Estou bem feliz antes mesmo de ter recebido os primeiros modelos que comprei. Sabe-se lá se será fácil ou difícil a adaptação ao pano no começo, mas tô aqui bem animada, reunindo bastante teoria (um salve para a internet e para as mães experientes nesse quesito) pra me jogar na prática nessa semana que começa.

Quando você considera o ciclo de vida de uma fralda, seja de pano ou plástico, e começa a fazer comparações entre elas, se permitindo raciocinar de verdade, é impossível não perceber qual é a melhor solução.

Fraldas descartáveis são tão comuns e convenientes que, assim como foi pra mim, pra muitas mulheres grávidas, nem passa pela cabeça utilizar qualquer outra coisa. Não se pensa muito sobre isso. Já está no automático. As dúvidas que nos envolvem são sempre aquelas do tipo “qual a melhor marca?”, “quantos pacotes irei precisar?”, “quais tamanhos?”… Seria muito bom se a pergunta fosse ao menos “pano ou plástico?”.

Muito compreensível, afinal, depois que as fraldas descartáveis foram popularizadas, a indústria que produz para esse mercado cresceu absurdamente e junto dela, os anúncios pesados nas principais mídias, como televisão e revistas. São tantos bebês fofinhos com bumbuns saudáveis nas propagandas, tantas marcas e tipos de fraldas pra cada fase do bebê, além de profissionais de saúde e veículos especializados opinando positivamente a respeito, que fica muito difícil dar a chance para que mães comuns conheçam alternativas atuais muito mais compensadoras do que as tradicionais.

Fraldas descartáveis tornaram-se padrão e passaram a ser vistas como o jeito mais normal de vestir os bebês. Assim, ouvir falar em fralda de pano remete muita gente a uma forma “tupiniquim” de cuidar dos filhos. É incrível como um olhar desconfiado e reticente ainda é lançado quando se comenta a respeito delas entre as pessoas, pais, mulheres, mães e não mães.

Por muitos anos, é verdade, muitas famílias com bebês foram beneficiadas por uma solução inovadora que tornaria prática uma rotina que já não cabia mais na vida daquelas pessoas. Qual mãe, na década de 50 ou 60, não queria se ver livre do inconveniente das lavagens constantes de fraldas de pano, necessárias para que se pudesse dar conta da quantidade de trocas que o bebê exigia? E a tranqüilidade por conter o xixi dos pequenos e deixá-los sequinhos por mais tempo? Pense como isso não foi importante.

Acontece que o tempo passou e o que foi incrível para a época, hoje nos traz grandes conseqüências.

Talvez você ainda não conheça o imenso estrago que as fraldas descartáveis, depois de usadas e jogadas fora, causam ao nosso planeta. Na verdade, o estrago começa bem antes, quando árvores são derrubadas deliberadamente para serem usadas como matérias-primas de sua produção. Mas, depois de descartadas, as fraldas causam prejuízos ainda maiores porque elas nunca acabam, já que falar em quase 500 anos para sua decomposição, pra mim, é quase falar de um tempo infinito.

A real é que muita gente não se sensibiliza com a causa do meio ambiente, como se fosse algo distante, parte de uma realidade que não nos atinge no cotidiano, tal qual a falta de saúde e recursos financeiros atingem.

E é ai que está a questão. As fraldas descartáveis não só trazem prejuízos ao meio ambiente, mas à saúde dos bebês e aos nossos bolsos. Se você é como o Tim Maia, que pede motivos pra ir embora, veja se esses dados assustadores não são suficientes para que você as abandone também:

O problema das fraldas descartáveis_Infografico_mamaeverde

Aqui mostro as continhas que fiz para chegar ao custo total de fraldas até o desfralde:

fraldas

Se eu já estava tendenciosa a buscar uma alternativa quando pesquisei a respeito dessas informações, quando conheci os benefícios das fraldas de pano e pude compará-las, bati o martelo definitivamente.

Nos próximos posts eu conto sobre o que as fraldas de pano prometem e mostro a comparação das duas opções. Se isso é novidade pra você, cairá pra traz quando confrontar os prejuízos de uma e os benefícios da outra.

Até lá!

2 Comentários em Uma decisão pensada e feliz: porque estou deixando as fraldas descartáveis

  1. Juliana Pereira

    Oi!!!
    confesso que a princípio me assutei… mas você me abriu os olhos… simplesmente amei.
    Você está de parabéns.
    Se todos pensassem assim quantas coisas poderiam ser mudadas para melhor.
    siga em frente.
    beijos

    • Fernanda

      Oi Ju!

      Sempre é tempo de se abrir para outros caminhos se eles são coerentes para nós, não é mesmo?!
      Espero que goste dos posts complementares que virão adiante.

      Um beijo e obrigada por interagir!

Deixe um comentário