Fraldas de pano: por que usar?

Saúde e Cuidados novembro 06, 2015

| Se te parece esquisito, trabalhoso, caro ou ineficaz, deixe todos os preconceitos de lado e saiba por que você deve considerar usar fraldas de pano em seu bebê.

fraldas de pano por que usar

Elas lembram bastante as antigas calças plásticas. Assustam um bocado muitas mães da atualidade só porque são de pano. Pano remete à época de nossas mães, às antigas fraldas Cremer, à varais lotados, ao tempo gasto com a barriga no tanque para lavar “um monte de pano sujo de cocô”. Não, fraldas desse tipo não combinam com mãe moderna. E essa conversa muitas vezes acaba por ai.

Eu levei um tempo pra cogitar a ideia de usá-las. A primeira vez que ouvi falar, curvei a sobrancelha com aquela cara de estranheza. Mas, logo que comecei a me informar sobre os estragos tão variados causados pelas descartáveis, considerei experimentá-las no meu filho, que à essa altura já tinha mais de seis meses.

Bem, eu queria me livrar das descartáveis. Além da opção pano, eu poderia:

usar fraldas mais ecológicas, aquelas biodegradáveis, que pelo alto custo e ponderações a respeito de sua real biodegradabilidade (leia mais aqui), me fizeram logo desistir e,

praticar o método Elimination Communication, mas esse seria pra mim um super avanço, que exigiria uma disposição extra de todas as pessoas que me ajudam a cuidar do Arthur. Declinei facilmente.

Comecei então minhas pesquisas sobre as fraldas de pano antes de comprar as primeiras. Entendi que elas também não são 100% perfeitas. Na verdade, eu nem tinha essa expectativa, a de encontrar uma solução fantástica, que respeitasse integralmente o meio ambiente, a saúde e o meu bolso. Me restava comparar qual opção traria mais benefícios – verificando os três aspectos anteriores – e assim, foi fácil chegar à uma conclusão definitiva.

pano vs. descartáveis _ mamae verde

Questão ambiental:

Todos aqueles números assustadores que indicam a quantidade de fraldas descartáveis utilizadas por um bebê até o seu desfralde (~ 4,980 unidades), quanto tempo leva para cada uma delas se decompor (de 200 a 500 anos) e quantas árvores são derrubadas em cada parte do mundo a cada ano para sua produção (só nos EUA, ~200.000), nos dá uma considerável ideia do estrago ambiental que elas causam.

Mas, antes de mais nada, é bom saber que as fraldas de pano sozinhas não são milagrosas. Para que seus impactos ambientais sejam realmente menores do que as feitas de material descartável, o processo de lavagem precisa ser cuidadoso.

Um estudo  realizado pela Agência Ambiental do Reino Unido, em 2008, indicou que em termos de quantidade de dióxido de carbono produzido, o impacto no aquecimento global de fraldas reutilizáveis e fraldas descartáveis seria equivalente. No entanto, as fraldas reutilizáveis poderiam reduzir ou aumentar seus efeitos sobre o meio ambiente, dependendo de como fossem lavadas(1) 

[Me parece claro que o uso dispendioso de energia elétrica, água e sabão na manutenção das fraldas de pano realmente não combina com o seu propósito. Seria até incoerente pois, se os pais que buscam por essa opção o fazem também (ou inclusive) por uma questão ecológica, imagino que dificilmente iriam utilizar os recursos de forma inconsciente.]

As fabricantes também orientam um cuidado especial, que contribui para a maior vida útil das fraldas de pano e, de quebra, com a economia de dinheiro e de recursos naturais. A maioria recomenda acumular as fraldas e seus respectivos absorventes para serem batidos na máquina de lavar todos de uma só vez, aproveitando ao menos a capacidade mínima de cada carga e, utilizar sempre um pouquinho só de sabão, o que gira em torno de uma colher de sopa rasa ou uma tampinha de garrafa PET para as fraldas e complementos reunidos.

O estudo também diz que utilizar água com temperatura mais reduzida nas lavagens, usar aparelhos eletrodomésticos mais eficientes em termos de consumo de água e energia e secar as fraldas ao ar livre, ao invés de utilizar secadoras de roupas, são fatores determinantes para que as fraldas de pano minimizem ainda mais seus impactos ao meio ambiente.

Ainda, no quesito ambiental, há três pontos que favorecem seu uso:

# Reutilização
Uma única fralda de pano pode ser reutilizada pelo menos umas 75 vezes em um bebê. E se ainda você tiver um segundo filho, todas elas poderão ganhar bumbuns novos sem perder a eficiência. (2)

# Biodegradabilidade
Mesmo que não utilizadas até acabar, os resíduos das fraldas de pano levam muito menos tempo para se decompor na natureza se comparados aos resíduos plásticos. São, em média, 1 ano para o algodão e de 20 a 200 anos para têxteis sintéticos (como o poliéster presentes nos tecidos de microfibra, utilizados em alguns absorventes de fraldas de pano), contra 500 anos das fraldas descartáveis. (3)

# Descarte correto das fezes
O uso das fraldas de pano orienta o descarte correto das fezes do bebê. A limpeza começa com a eliminação dos dejetos no local mais adequado que é o vaso sanitário. Nada de enrolar o cocô na fralda descartável e mandar embora junto do lixo doméstico para os aterros sanitários. Mesmo dentro das fraldas, as fezes podem se infiltrar nos lençóis freáticos e contaminar nossas águas e solo. Sem contar as doenças infecciosas que podem ser transmitidas facilmente. Aliás, que o hábito de limpar pelo menos “o grosso” da fralda não precisa estar vinculado ao uso da fralda de pano. Mesmo pais que utilizam fraldas descartáveis poderiam jogar as fezes no vaso sanitário e enxaguar a fralda antes de dispensá-la ao lixo, não é mesmo?!

Questão saúde:

Já sabemos que as fraldas descartáveis contêm substâncias químicas nocivas à saúde podendo irritar a pele do bebê, assim como causar alergias e lesões muito mais graves. São ingredientes perigosos, como esses que seguem abaixo, que já se pode afirmar, estão presentes em fraldas de diversas marcas:

# Dioxinas
São substâncias químicas tóxicas geradas como subproduto de um processo industrial de branqueamento das fraldas descartáveis em função do uso do cloro. Elas são potenciais causadoras de câncer e estão associadas a outros problemas de saúde como aqueles ligados ao sistema reprodutor masculino e feminino. Ainda que algumas pesquisas afirmem que o nível de dioxinas encontrado em fraldas descartáveis não seja ameaçador, pouco se sabe ainda sobre quais tipos de conseqüências podem haver ao organismo que é exposto às baixas taxas, tendo muito sentido preocupar-se com essa substância. (4)

# Corantes
Utilizados por muitos fabricantes para colorir partes das fraldas descartáveis, os corantes podem ser responsáveis por diversas reações alérgicas em bebês. Um estudo publicado pela Academia Americana de Pediatria constatou que muitas dermatites diagnosticadas em bebês ocorreram somente em locais onde a pele estava em contato direto com a parte tingida da fralda, fazendo concluir que essa substância pode sim provocar sérios danos à saúde de nossos filhos. (5)

# Fragrâncias
Aquele perfume gostoso de algumas fraldas descartáveis, que muitas vezes mascaram o cheirinho do cocô do bebê, é indicado no rótulo apenas como fragrância, o que está longe de nos fazer conhecer sua complexa composição. Segundo a americana Campanha por Cosméticos Seguros, as fragrâncias reúnem mais de 3059 componentes químicos, que as empresas não são obrigadas a divulgar por ser caracterizado “segredo comercial”. Muitos deles são associados à alergias e sensibilidades, além de doenças como o câncer. Os produtos químicos contidos nas fragrâncias também podem possuir solventes, estabilizadores, conservantes e corantes, tudo o que nós não queremos que nossos bebês tenham contato. (6)

# Ftalatos (ou DBP, DMP, DEP, DEHP)
São substâncias capazes de tornar plásticos rígidos em plásticos mais maleáveis e duráveis. Geralmente são encontradas em perfumes para que se fixem por mais tempo, em shampoos, sabonetes e cremes, para que tenham melhor aspecto de cremosidade, em itens infantis como mamadeiras, brinquedos para apertar e mordedores, para se tornarem mais macios, em embalagens de alimentos e no plástico conhecido como PVC (policloreto de polivinila). São tidos como desreguladores endócrinos e seus efeitos estão associados ao câncer de mama e à diminuição da fertilidade masculina. (7)

# Poliacrilato de sódio
É um polímero super absorvente (SAP – Super Absorbent Polymer) que quando em contato com a água se transforma em um gel, com capacidade para absorver mil vezes o seus em peso em água. Se inalado enquanto pó, pode acarretar problemas respiratórios. Há opiniões de que os polímeros encontrados em fraldas descartáveis são seguros e não tóxicos. No entanto, há que se considerar que a) sendo um material proveniente do petróleo, pode conter componentes químicos indesejáveis; b) por sua alta capacidade de absorção, pais podem ser levados a acumular o xixi por mais tempo na fralda, expondo muito mais a pele do bebê à bactérias e irritações causadas pela amônia da urina. (8)

Com tantos elementos químicos que envolvem as fraldas descartáveis, não é difícil logo pensar que quando falamos na alternativa “pano” estamos falando em algodão = produto natural = mais saúde.

Mas não é bem assim:

primeiro porque a cultura do algodão tradicional está longe de ser saudável. Sendo uma das que mais se utiliza de agrotóxicos para conseguir prosperar, mesmo o seu produto final, que é o tecido, conterá componentes tóxicos que, em contato com uma pele mais sensível, tende a causar algum tipo de reação.

segundo porque a microfibra, material sintético e também derivada do petróleo, é uma opção bastante procurada para os absorventes das fraldas de pano e abundantemente fornecidas nesse mercado por ser muito eficiente na absorção.

Aliás, que a cadeia de fornecimento da microfibra não é muito legal:  tecido sintético, advém de recurso não renovável, é importado e gastou muito combustível para chegar até aqui. No entanto, seu uso é completamente opcional.

Quem prioriza maior absorção pode utilizar os tais absorventes de microfibra (8x mais absorvente que o algodão), que embora artificiais, são orientados a ficar dentro dos bolsinhos das fraldas (para os modelos pockets) , fora do contato direto com a pele do bebê.

Quem prioriza a forma mais natural pode utilizar os absorventes de algodão (dando preferência ao orgânico), só tendo que se atentar aos períodos mais freqüentes de troca, o que tem seu lado positivo, pois diminui o contato pele/xixi do bebê. Há ainda os absorventes feitos da fibra do cânhamo ou bambu, para complementar as opções mais naturais.

Questão econômica:

Em tempos de crise, qualquer economia é muito bem-vinda. Tamanha não foi minha satisfação ao descobrir que mesmo tendo usado descartáveis no meu filho até os seus dez meses, adquirir fraldas de pano para utilizar dali por diante ainda deixaria meu saldo bem positivo.

De qualquer forma, para fazermos as contas e compararmos os custos, vamos utilizar o cálculo já feito aqui.

São em torno de 4.980 fraldas descartáveis do nascimento ao desfralde do seu bebê que se, multiplicadas pelo preço médio de cada fralda utilizado como referência, resulta em um gasto de mais de R$ 6.000.00! Ou seja, até que seu bebê já possa fazer cocô e xixi sozinho, você gastará essa fortuna somente com fraldas.

4980 (média de fraldas até o desfralde)

x R$ 1,21 (valor médio aproximado por fralda)

= R$ 6.025,80 (custo total com fraldas até o desfralde)

Agora, a continha com as fraldas de pano:

Antes de apresentar as continhas, vamos às considerações:

1. utilizo um perfil econômico – o meu! 😉 – para determinar uma quantidade suficiente de fraldas, segundo claro, as recomendações de fabricantes e de mães experientes, já que eu ainda estou em fase de test-drive. Aqui também considero lavagens a cada dois dias, o que define a tal quantidade suficiente.

2. incluo nas contas das fraldas de pano os primeiros 30 dias do bebê com uso de descartáveis, pra vermos como ainda assim vale à pena. Eu não passei por essa fase e nem irei passar com o Arthur, mas, muitas pessoas me disseram que não usaram fraldas de pano nos primeiros dias de vida de seus bebês porque era um período muito passageiro e não compensaria o investimento em fraldinhas de pano tão pequenas. Isso porque a maioria dos fabricantes oferecem a opção de tamanho único (fraldas que crescem junto com o bebê através dos ajustes de botões) a partir dos 3 ou 3,5kg. Com exceção de prematuros, é pouquíssimo tempo mesmo até chegar nesse peso.

3. também incluo nesse custo, o consumo extra de água e energia elétrica. Usei como base minha máquina de lavar, uma Electrolux 15Kg Mod. LA15F com consumo de energia  de 0,42 kWh por ciclo num programa de lavagem normal, com água fria. Essa informação está bem nítida no selo da Procel, que acompanha qualquer máquina de lavar, ou numa marcação localizada nas costas do aparelho.

4. o modelo de fralda que escolhi é o chamado de bolso ou pocket onde utiliza-se sempre duas peças ou duas partes: a fralda e o absorvente. As fraldas diurnas e noturnas nesse sistema pouco diferem em termos de preço. O que muda mesmo para cada período é a quantidade e o tipo de absorvente que devem ser usados. Para a noite, então, pede-se mais absorventes ou absorventes mais reforçados.

O pacotão ficou assim:

fralda_total_quantidade

Inclui uma bolsa impermeável para carregar as fraldinhas sujas e paninhos de limpeza para aproveitar o ensejo e também abandonar os lenços umedecidos convencionais.

Vejam as contas (clique para ver maior):

a planilha, como toda planilha,  é “punk” de ler, mas você pode dar um pelé, confiar em mim e ir direto para o resultado. 😉

CÁLCULO DE USO DE FRALDAS DE PANO ATÉ O DESFRALDE DO BEBÊ

Localizaram o resultado? R$ 1.564,21!

São R$6.000,00 contra R$ 1.500,00. Fraldas descartáveis custam 4 vezes mais que fraldas de pano!

ainda que você considere nesses cálculos os impostos sobre a água e luz,

ainda que você inclua o sabão mais caro do supermercado,

ainda que você queira comprar mais do que 20 fraldas de pano,

ainda que você compre os absorventes mais caros,

ainda que você lave tudo com mais frequência …

me diga … não é uma economia e tanto?!

Referências:
(1) https://www.gov.uk/government/uploads/system/uploads/attachment_data/file/29-se n1130/srcho0808boir-e-e.pdf
(2) http://www.extension.umn.edu/environment/water/diaper-choices/
(3) http://www.hearts.com/ecolife/surprising-textiles-compost/#sdendnote3sym
(4) http://www.toxipedia.org/display/toxipedia/Diapers ; http://www.nossofuturoroubado.com.br/arquivos/dezembro_10/7.html
(5) http://pediatrics.aappublications.org/content/pediatrics/116/3/e450.full.pdf
(6) http://www.safecosmetics.org/get-the-facts/chemicals-of-concern/fragrance/
(7)http://www.ecycle.com.br/component/content/article/67-dia-a-dia/2183-ftalato-ftalatos-plastico-maleavel-rigido-brinquedos-copos-pvc-esmalte-brilho-fixacao-cometicos-quimicos-hidratante-spray-problemas-fertilidade-masculina-reproducao-feminina-cancer-figado-rins-.html
(8) http://www.gdiapers.com/blog/sap-a-sticky-subject/#more-70 ; http://www.ecycle.com.br/home/35-atitude/1073-conheca-os-perigos-da-dioxina-e-como-preveni-los.html

5 Comentários em Fraldas de pano: por que usar?

  1. Led

    Olá! Muito legal as informações sobre as fraldas de pano! Sabia que eram muito boas, mas não sabia que economizaria tanto! Só ficou uma dúvida: dessa quantidade de fralfas e absorventes, não há uma vida útil? Elas duram mesmo até o desfralde sem ter que comprar mais? Obrigada!

    • Fernanda

      Olá Leda! Desculpe a demora em respondê-la. Agradeço muito o contato. Sim, as fraldas duram mesmo até o desfralde, desde que você cuide para que a vida útil se prolongue. Mas não há nada de extraordinário. É mais ou menos como cuidar de suas roupas, os cuidados são básicos: lavar em máquina de lavar, com a quantidade de sabão adequada. Secar ao sol, sempre que possível, pra que as possíveis manchinhas saim tranquilamente. Evitar deixar fraldas sujas, de molho, por muito tempo. Evitar pomadas anti-assaduras, para não impermeabilizar. Não ferver as capas, somente os absorventes, se necessário. Não passar. Em geral, seguir as recomendações das fabricantes. Os tecidos variam muito e requerem cada um, um tipo de cuidado. Ainda sim, tudo muito simples.

  2. Michelle Lima

    Achei muito interessante.
    Não conhecia esse tipo de fralda até hoje, apesar de já ter ouvido falar de absorventes femininos de pano.
    Com certeza vou cogitar usar essas fraldas com minha bebezinha que está chegando.

    • Fernanda

      Oi Michelle! Obrigada pelo seu comentário! Te convido a conhecer o nosso clube que está chegando, o http://www.clube.mamaeverde.com.br. Caso lhe interessar, se inscreva na página para receber nossas novidades e nosso cupom de desconto de pré-lançamento. Um beijo!

Deixe um comentário